• Beatriz Faria

Roi... Conto novo, né? |2

'Estação'

por Beatriz Faria



E então o vagão devagarzinho deixa a cidade e começamos a andar sob os trilhos, ouvindo um rugido pelo atrito de vez em quando. Lentamente temos a visão privilegiada das suturas daquele lugar, suas cicatrizes e o que mais pode ser escondido entre peças metálicas. Passado, lembranças e memórias apagadas.


Uma moça de vestido longo e colorido se apresenta no meio de todos e mostra seu trabalho, lápis com bonecos de crochê na ponta, diz que tem filhos pra cuidar, mostra, vende, pede uns trocados. Algumas pessoas elogiam, outras viram a cara. Um garoto caminha até o meio e entrega um punho fechado de moedas que a moça agradece com um "Deus te abençoe", mas não leva nenhum lápis, apenas volta para o seu lugar. Um senhor no fundo se apoia como consegue, quase caindo, com as duas mãos para não cair com o solavanco, aqui dentro aqueles moleques que tiram sarro de toda a situação não parecem perceber o significado das cadeiras reservadas.


Tem uma criança também, que, por sinal, parece muito com você. Ela deve ter uns dois ou três anos e fica quietinha ao lado do homem de óculos escuros que lê o jornal, a garotinha lança os olhos ao redor repetidamente como se buscasse alguma distração. Olhando mais uma vez, a criança se parece muito, tem a cor dos seus olhos, o molde do seu cabelo, o traço de seu sorriso e a sua cara de bravo.


Oh.


Então o vagão chega na estação e você e sua filha descem, provavelmente discutem o que jantarão com a mãe. Vocês se levantam e partem, prontos para seguir em frente, prontos para continuar o trajeto, seja lá qual for. O meu vagão deixa vocês até que de longe tudo que posso ver são duas miragens. Sua família se reúne, fica junta, e unida pelo cheiro da ceia, de comida caseira feita em pleno dezembro, enquanto eu ainda espero pela hora em que terei de descer do vagão.


Texto originalmente publicado em priscillacastro.com.br




20 visualizações
  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

CNPJ: 27.540.961/0001-45
Razão Social: Skull Editora Publicação e Vendas de Livros
Endereço: Caixa postal  79341 - Cep: 02201-971, - Jardim Brasil, São Paulo - SP

© 2020 Skull Editora. Todos os direitos reservados.