• Skull Blog

Os Monstros de Chernobyl

Lendas e relatos da região


Lembrando da máxima de Ian Malcolm, personagem icônico de Miachael Crichton em Jurassic Park “A vida encontra um meio” novas criaturas surgiram através da radiação, ou evoluíram dela. O que chama também a atenção de pesquisadores é a presença de animais selvagens que dada a ausência de humanos, passaram a caminhar pelas ruas abandonadas de Chernobyl e Pripyat sem medo da radiação


Fungo Radioativo

Com níveis mortais de radioatividade, a usina de Chernobyl, na Ucrânia, é um dos lugares mais contaminados e perigosos do planeta. Mas nas ruínas desse inferno nuclear está nascendo uma criatura bizarra: um fungo que come radioatividade. Ou melhor, não apenas um: pesquisadores dos EUA descobriram que há 37 espécies mutantes crescendo em Chernobyl. Elas foram descobertas numa inspeção de rotina, quando um robô vistoriava o interior da usina e encontrou uma meleca preta crescendo pelas paredes do reator 4 – o mesmo que explodiu e provocou, em 1986, o pior acidente nuclear da história. Como é possível que, além de sobreviver à radiação, algum ser vivo consiga se alimentar dela? “Nossas pesquisas sugerem que os fungos estão usando um pigmento, a melanina, da mesma forma que as plantas usam a clorofila”, diz a cientista Ekaterina Dadachova. Ou seja: os fungos teriam sofrido mutações que os tornaram capazes de fazer uma espécie de “radiossíntese”, transformando radiação em energia. Dentro da usina, os fungos mais comuns são versões mutantes do Cladosporium sphaerospermum, que provoca micose, e a Penicillium hirsutum, que ataca plantações de alho. Mas como elas foram parar em Chernobyl? Afinal, o reator foi selado por uma caixa de concreto, o chamado “sarcófago”, após o acidente de 1986. “Os fungos penetraram pelas brechas”, acredita o biólogo Timothy Mousseau, da Universidade da Carolina do Sul. Será que, como num filme de terror, os monstrinhos atômicos podem sair da usina e se espalhar pelo mundo? Eles podem escapar do mesmo jeito que entraram, passando por brechas e rachaduras nas paredes. Mas, sem radioatividade para comer, não se dariam bem fora da usina. “Geralmente, os organismos que conseguem se sair bem em um local extremamente hostil têm dificuldades em outros ambientes”, diz Mousseau.


Fonte: Super Interessante


Animais Selvagens


"O pior desastre nuclear da história levou mais de 100 mil pessoas a abandonar suas casas na pacata cidade ucraniana de Pripyat para nunca mais voltar. Com níveis de radiação cerca de 20 vezes maior do que o emitido pela bomba de Hiroshima, a explosão da usina de Chernobyl, em 1986, tornou uma área de 4.200 quilômetros (dividida entre a Ucrânia e a Bielorrússia) relativamente fantasma.

“Animais radioativos” passaram a andar pelas cidades, mesmo com declínio das espécies devido problemas de fertilidade causados pela radiação, a número de lobos e ursos é grande na região. Pássaros e cães também são presentes nas cidades.

"Segundo o estudo, o número de lobos é sete vezes maior na reserva contaminada pela radiação que em outras regiões semelhantes. A “zona morta” tem mais fauna que nunca, destaca a análise. “É simplesmente por não haver presença humana”, destaca Smith.

Na reserva de Polésia viviam cerca de 22 mil pessoas. Para os cientistas, hoje o número de animais na região é mais elevado do que na época do acidente. Até uma espécie de urso, o pardo, que havia sido extinto do local voltou."

"Como os métodos de avaliação são restritos, já que não se pode explorar a área de forma prolongada pelos riscos da radiação ainda hoje, não se sabe quais são as condições de fato destes “animais radioativos”. Os pesquisadores querem agora descobrir quais foram os efeitos reprodutivos e genéticos que sofreram espécies como peixes. “Embora acreditemos que a radiação não afeta as populações de animais, estamos interessados em efeitos mais sutis sobre os indivíduos”, concluiu Smith ao “El País”."

Fonte: GAZETA DO POVO


Fantasmas

Outros fenômenos paranormais testemunhado pelos pesquisadores consiste em sombras assustadoras e silhuetas de pessoas. São aparições de antigos médicos e bombeiros, caminhando em meio às ruas e prédios abandonados. Além disso, há relatos de uma misteriosa luz âmbar que aparece sem explicação aparente sobre as instalações abandonadas de Prypiat. Até mesmo alguns soldados que vigiam a área relataram ser tocados por presenças invisíveis, além e um mal-estar generalizado…

Além disso, eles também têm a sensação de estarem sendo observados a partir das janelas vazias do hospital. Como se isso não bastasse, algo que é bastante comum nesta região é o som de crianças rindo e brincando pelas ruas do lugar. As premissas que giram em torno deste tema são baseadas em que, embora haja um aumento em torno das leituras de radiação, são maiores as chances de existirem atividades sobrenaturais. O que mais esconde esta área?


Fonte PARA OS CURIOSOS

.

104 visualizações1 comentário
  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

CNPJ: 27.540.961/0001-45
Razão Social: Skull Editora Publicação e Vendas de Livros
Endereço: Caixa postal  79341 - Cep: 02201-971, - Jardim Brasil, São Paulo - SP

© 2020 Skull Editora. Todos os direitos reservados.