Buscar
  • Skull Blog

Como escrever um romance de época

por Lídia Rayanne.



MARIE ANTOINETTE

Quem nunca se sentiu viajando no tempo ao se deparar com histórias clássicas ou até mesmo romances que se passam nos séculos passados, ainda que escritos atualmente? Desde que me entendo por gente sou apaixonada por filmes e livros ambientados em outras épocas, tanto pelos trajes pomposos, costumes e valores esquecidos pela modernidade, quanto pelas tramas mirabolantes, às vezes recheada de duelos de espadas. Amava tanto que, aos dezesseis anos, decidi escrever meu próprio romance, que viria se tornar a duologia “Romance em San Marino”, publicada pela Editora Skull.

O que eu não imaginava na época, porém, eram os desafios que esse tipo de livro representa para o processo criativo de um autor. Mas se você não é do tipo que se intimida e morre de vontade de escrever um romance de época ou histórico, confira algumas das dicas que aprendi ao longo dos últimos anos.


1 – Saiba a diferença entre um romance de época e um romance histórico.


Eu sei, eles parecem ser a mesma coisa, porém não são. Ambos os subgêneros possuem características próprias.

Enquanto um romance histórico é uma obra ambientada antes dos anos 50 e que tem como plano de fundo um fato que realmente aconteceu (como uma batalha, um golpe de estado), fazendo com que a trama seja construída em cima dele. Deve ter a presença de figuras históricas (ou seja, pessoas que realmente existiram) que interajam com os protagonistas. Tanto os personagens como os cenários devem ter o máximo de precisão histórica. Um exemplo desse tipo de romance é a série Outlander, em que a protagonista acaba influenciando fatos que realmente marcaram a história europeia.

Já um romance de época, embora use determinado período histórico como plano de fundo, não exige a referência de fatos históricos importantes. O foco se dá sobre os costumes da sociedade (como a moda, regras de etiqueta, bailes e outas atividades cotidianas) e como isso influencia no desenvolvimento do romance entre os protagonistas. Algumas questões são abordadas, como a posição da mulher na sociedade, as diferenças de classes sociais e o relacionamento íntimo do casal.Os livros da autora Júlia Quinn são um bom exemplo desse tipo de romance.

Saber a diferença entre um romance de época e romance histórico é importante para que o autor ou autora saiba qual tom vai dar à sua trama. Vai ser algo mais sério? Ou mais leve e divertido? Ou até mesmo uma mistura dos dois?



2- Pesquise o máximo possível sobre a época retratada

Independente do tipo de romance, um fato é certo: você precisa pesquisar e muito tudo o que se refere à época em que ele for ambientado. E digo não apenas o cenário e vestimentas, mas também as crenças e os hábitos das pessoas da época. Afinal, jovens do século XIX não tinham a mesma educação e objetivos de vida que as pessoas da mesma idade têm em nosso século.

Outra coisa que deve prestar atenção é a descrição de objetos que hoje em dia estão em desuso, de forma que seu leitor entenda a funcionalidade deles em cena. É preciso tomar cuidado com espécies de plantas e animais mencionados, vai que algum deles não existia no local naquela época? Também deve se atentar à geografia de certas nações, afinal, muitas tiveram suas fronteiras alteradas no decorrer dos séculos. Conhecer tudo isso é fundamental para que sua história soe o mais verossímil possível.

Sobre essa questão da pesquisa, vou contar aqui uma história engraçada sobre a minha duologia “Romance em San Marino”. Quando fiz o primeiro rascunho da obra, a ideia era que fosse uma típica história de príncipe que se apaixona por uma plebeia e que juntos eles impediriam que Napoleão Bonaparte conquistasse o país deles. A questão é que quando fui pesquisar sobre a história de San Marino, descobri que a nação era uma das repúblicas mais antigas do mundo e que permaneceu independente na época das guerras napoleônicas. Já imaginou a bagunça que seria se eu tivesse desrespeitado esse fato histórico? Mesmo assim não desisti do romance ambientado nesse lindo país e adaptei o que foi necessário à trama que tinha planejado previamente.


3 – Leia livros que foram escritos na mesma época sobre a qual você quer escrever.


Sim eu sei, a ideia de ler livros que se passem na mesma época que queremos escrever é tentadora, mas se você quer ser mais preciso na sua ambientação deve dar uma chance aos clássicos e obras contemporânea ao período em questão. E não digo apenas romances: cartas, jornais, memórias, livros sobre filosofia e até mesmo artigos políticos são úteis também para entender como as pessoas de um determinado período pensavam e enxergavam o mundo.


4 – Cuidado com a fala dos seus personagens

Para fazer com que seu leitor viaje no tempo, você deve dar uma atenção especial à maneira como seus personagens falam. Se quer que eles soem convincentes eles precisam se expressar com os termos da época. E se seu livro tem como protagonistas aristocratas o cuidado deve ser redobrado: pesquise as formas de tratamento correta para cada título da nobreza.

Essas são apenas algumas dicas para ajudar você a começar a escrever seu romance de época ou histórico. Sim, é trabalhoso e demanda meses, às vezes até anos, de pesquisa. Mas o prazer de mergulharmos no passado enquanto pesquisamos e traduzir a beleza de outros tempos na forma de uma narrativa envolvente é um grande prazer para quem ama esse tipo história.



SOBRE A AUTORA:

Fortalezense e formada em Design de Moda, Lídia Rayanne sempre foi tão apaixonada por livros que um dia decidiu escrever um. Nerd e romântica incurável, é colunista no site Tracinhas, onde compartilha seus surtos literários e contos publicados em antologias junto de suas amigas. É autora da duologia Romance em San Marino, publicada pela Editora Skull, e da série Peripécias de uma Estudante de Moda.


Site: https://www.lidiarayanne.com.br/

Instagram:@ lidia.rayanne.autora

164 visualizações1 comentário
  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

CNPJ: 27.540.961/0001-45
Razão Social: Skull Editora Publicação e Vendas de Livros
Endereço: Caixa postal  79341 - Cep: 02201-971, - Jardim Brasil, São Paulo - SP

© 2020 Skull Editora. Todos os direitos reservados.